jusbrasil.com.br
31 de Março de 2020

Como evitar confusão quando estiver falando de várias pessoas na mesma frase.

É sempre bom se referir às várias pessoas da mesma frase com pronomes demonstrativos ou de forma numerada para evitar confusões sobre o que se está falando de quem.

Escrito Direito, Advogado
Publicado por Escrito Direito
há 4 meses

Deparei-me com um caso em que um professor escreveu que: “Há responsabilidade do locador por danos causados ao locatário por culpa dele”. A pergunta que ficou no ar é: ele quem? O Locador ou o locatário?.

Quando se usa pronomes do caso reto em frases que tenham várias pessoas, a frase fica ambígua, sendo que o melhor a fazer é usar pronome demonstrativo.

No exemplo acima, ficaria mais fácil de entender se o professor escrevesse:

“Há responsabilidade do locador por danos causados ao locatário por culpa daquele”.

Neste caso, o agente citado em primeiro lugar é “aquele, daquele, aquela, ou daquela”, ou ainda "aquilo, daquilo" e o citado depois fica como “essa, dessa, esse, desse”, ou ainda "isto, disto". No caso acima, com essa alteração, fica claro que se está falando do Locador e não do Locatário.

Havendo três agentes na frase, pode-se usar o mesmo princípio:

O Tio Patinhas tinha três sobrinhos: Huguinho, Zezinho e Luisinho, sendo que este usa boné verde, aquele usa boné azul e, aquele outro, vermelho.

Fica claro o que eu estou falando de cada um dos sobrinhos do Tio Patinhas, com enumeração de forma decrescente, sendo que o primeiro a ser comentado é o último a ser mencionado.

Quando são várias pessoas, o mais correto é fazer uma enumeração inversa, começando a comentar o que foi citado primeiro. Exemplo:

Dentre as personagens principais da Looney Tunes estão: Pernalonga, Patolino, Legeirinho, Frajola, Piu-Piu, Coiote e Papa Léguas. O primeiro é um coelho e tem o nome em inglês de Bugs Bunny; o segundo é um pato e seu nome em inglês é Daffy Duck; o terceiro é rato, cujo nome em inglês é Speedy Gonzales; o quarto é um gato chamado originalmente de Sylvester; o quinto é um canarinho cujo nome em inglês é Tweety, o sexto é um coiote, cujo nome, em Inglês, é Wile E. Coyote e era o arqui-inimigo do último, que é uma ave muito comum nos Estados Unidos e México, chamada de Roadrunner, ou galo-cuco.

Para ficar mais fácil de compreender, principalmente nas peças processuais, quando houver mais de três elementos dentro de uma mesma frase é interessante que nos valhamos de numeração. Isso ajuda muito a identificar, porque, graficamente, os números são sempre maiores que as letras e mais fáceis de localizar com uma varredura visual mais rápida pelo texto. Daí ficaria da seguinte forma:

Dentre as personagens principais da Looney Tunes estão: 1. Pernalonga, 2. Patolino, 3. Legeirinho, 4. Frajola, 5. Piu-Piu, 6. Coiote e 7. Papa Léguas. O primeiro é um coelho e tem o nome em inglês de Bugs Bunny; o segundo é um pato e seu nome em inglês é Daffy Duck; o terceiro é rato, cujo nome em inglês é Speedy Gonzales; o quarto é um gato chamado originalmente de Sylvester; o quinto é um canarinho cujo nome em inglês é Tweety, o sexto é um coiote, cujo nome, em Inglês, é Wile E. Coyote que é o arqui-inimigo do último, que é uma ave muito comum nos Estados Unidos e México, chamada de Roadrunner, ou galo-cuco.

Importante também, sempre separar os diferentes elementos por ponto e vírgula, deixando a vírgula pura par ocupar sua função sintática dentro da explicação de cada um dos diferentes elementos dos quais nós estamos falando.

Você pode numerar ou não quando estiver explicando cada um dos elementos informados anteriormente, porque a leitura é feita de forma remissiva, ou seja, quando você lê: “o terceiro é rato, cujo nome em inglês é Speedy Gonzales”, você para com o cursor ou com o dedo no ponto em que você está lendo e olha para trás, o número três, que se refere ao Ligeirinho e segue a leitura.

Dessa forma, quando você estiver se referindo a vários elementos, podendo ser pessoas, coisas aleatórias, pagamentos, ou qualquer outro tipo de elementos seguidos, ainda que sejam apenas dois, ou até vários, é importante especificar, caso a caso, sobre o que você está falando, sempre de forma mais clara possível e sempre que possível se valendo de numeração e pronomes demonstrativos, no lugar de pronomes do caso reto.

Alternativamente você pode se valer de outra estratégia que é descrever cada um dos elementos na medida em que você os for citando:

O Tio Patinhas tinha três sobrinhos: Huguinho, que usa boné vermelho; Zezinho, que usa boné azul e Luisinho, que usa boné verde.

Essa estratégia funciona no primeiro caso, mas com algumas adaptações:

Há responsabilidade do locador se, por culpa sua, o bem locado causar danos ao locatário.

Seria o caso de um veículo locado que tem problemas mecânicos e o locatário não chega ao compromisso em tempo por causa disso. Explicando o contexto da frase apenas para não ficar um exemplo muito abstrato.

Quem tiver dicas, sugestões, ou simplesmente compartilhar uma informação que facilite a escrita de peças processuais ou facilite o operador do Direito ser mais claro e direto na sua redação, pode compartilhar as informações nos comentários que eu sempre os leio e, sendo algo que dê para ser desdobrado, eu posso escrever mais artigos com base nos comentários apresentados.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)